top of page
  • Foto do escritorerpotterpodcasts

Hamas está na Bíblia


O Hamas está em todo o lado nas notícias, mas esta semana

encontrei-o na Bíblia.

Agradecimento: Enquanto fazia as revisões finais deste texto e verificava as minhas fontes linguísticas, deparei-me com alguns artigos que corroboravam e amplificavam o meu ponto de vista. Depois de ler O Dilúvio, a Torre e a Batalha contra o Hamas*, do rabino Pessach Wolicki, inseri as referências a Gênesis 6.11 e 13 nos parágrafos finais. *Artigo em inglês



A linguagem fascina-me. Estou viciado em jogos de palavras e explicações sobre as origens das palavras. Todos os dias, eu e Abbie procuramos resolver quebra-cabeças de palavras como Wordle e outros.


As línguas fascinam-me. A minha professora de inglês no 7.º e 8.º anos abriu-me a porta da mente para a gramática inglesa e lançou-me numa viagem de quatro anos na minha primeira língua estrangeira, o latim, que culminou num trabalho de 500 palavras em latim (ou seriam 250 palavras?). Felizmente, esse trabalho há muito que se perdeu, mas foi o prenúncio dos estudos nos 60 anos seguintes da minha vida.


Comecei a adicionar à minha "coleção de línguas" o grego do Novo Testamento na universidade e, desde então, estudei formalmente mais 5 línguas e adquiri um conhecimento básico de mais 4 ou 5 línguas relacionadas. É um pouco como trepar uma árvore. Um ramo dá acesso ao seguinte, e quanto mais ramos houver, mais fácil é subir. Dentro dos grupos de línguas latinas, escandinavas ou eslavas, semelhanças sobrepostas na gramática e no vocabulário são uma grande ajuda para a compreensão das línguas irmãs. O desafio é conseguir um bom domínio no primeiro ramo de uma nova "família" de línguas, e é aí que o hebraico entra no meu caso neste momento. É a primeira do novo grupo de línguas, as línguas semíticas, que incluem o árabe e o aramaico.


Descobrindo "hamas" na Bíblia


Como mencionei em um blog recente, depois de estudar hebraico por cinquenta anos por conta própria, decidi me inscrever em cursos on-line de uma escola baseada em Jerusalém. Eu me inscrevi no segundo nível de estudos, mas quando a escola me enviou os materiais para Hebraico B, eles também incluíram a lista de vocabulário para Hebraico A. Reconheci muitas das 451 palavras dessa lista, mas a lista de vocábulos da Unidade 8 incluía uma palavra que eu não conhecia: "hamas".


Ora, cada língua dá lugar ao jogo de palavras. O inglês está repleto de palavras de pronúncia igual ou quase igual, algumas delas escritas de forma diferente. Elas têm significados totalmente diferentes e, portanto, são uma fonte quase ilimitada de trocadilhos. Ao estudar outras línguas, deparamo-nos com palavras que soam de forma semelhante em línguas totalmente distintas. No Brasil, quando eu e meus colegas missionários nos envolvemos em uma batalha de trocadilhos e jogos de palavras, convencionámos que misturar as línguas inglês e português em jogos de palavras não valia.


Eu já tinha estudado alemão antes de abordar o russo, onde encontrei o exemplo mais simples de confusão entre línguas. "Ja" (alemão) e "Я" (russo) são pronunciados exatamente da mesma forma, mas um alemão está dizendo "sim" e um russo diz, "eu". Agora eu tinha encontrado uma palavra em hebraico bíblico datada de 3000 anos que atualmente está aparecendo nas notícias quase a cada hora. Mas a palavra "hamas" em Amós 3.10 ou Habacuque 2.8, 17 ou Salmo 7.16 não pode ser o "Hamas" nas notícias de Gaza, que é uma palavra inventada. É um acrónimo como ONU – Organização das Nações Unidas. Alguns grupos intencionalmente escolhem um nome para transformar uma palavra cotidiana em nosso idioma em um acrónimo. Em inglês, LASER é acrónimo para Leadership and Assistance for Science Education Reform. Por ironia, a própria palavra "laser" é um acrónimo para a designação em inglês, Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation (amplificação de luz por emissão estimulada de radiação).


Na Bíblia, hamas é a causa do dilúvio nos dias de Noé

Os fundadores do Hamas escolheram seu nome Ḥarakah al-Muqāwamah al-ʾIslāmiyyah (Movimento de Resistência Islâmica) para transformar a palavra árabe "hamas" em um acrónimo. Em árabe "hamas" é traduzido pelo Google como "agitação", mas é um exemplo perfeito de um jogo de palavras cruel entre línguas. Na Bíblia, a palavra hebraica "hamas" é geralmente traduzida como "violência" (por exemplo, em Amós, Habacuque, os Salmos). "hamas" é a última palavra em Gênesis 6.11 e é traduzido como "violência". Descrevendo a situação que levou à destruição da humanidade pelo dilúvio, o texto diz: "A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus, e encheu-se a terra de hamas.” Uma recente tradução do Antigo Testamento em inglês, feita por rabinos, emprega o termo “lawlessness”, que em português seria “anarquia, desordem”, uma situação “sem lei”.


"Hamas", violência, desordem, anarquia – na verdade é uma descrição muito apropriada dessa organização. “Sem lei” é a tradução literal da palavra grega que é traduzida como "iniquidade" em Mateus 24.12. "E por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará".


O Hamas é conhecido por espalhar mentiras e provou-o novamente na semana passada ao afirmar intencional e falsamente que foram as forças de Israel que atacaram um hospital na Cidade de Gaza. Mas temos de dar crédito ao Hamas por ter deixado uma coisa clara desde o início: eles não procuram enganar ninguém: colocam o que defendem em seu próprio nome. Em árabe, "hamas" pode significar "agitação", o que certamente descreve essa organização terrorista. Mas os organizadores sabiam o que "hamas" significa em hebraico, a língua de seu alvo: violência, desordem, anarquia, sem lei. Apoiar o Hamas é, literalmente, apoiar a violência e a desordem. É o nome deles que eles ostentam com orgulho.



A determinação de Israel em acabar completamente com o Hamas é louvável, mas, em última análise, está condenada ao fracasso.

Quando Jesus falou de Sua volta, Ele disse: "Assim como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do Homem". (Lucas 17.26) Em Gênesis 6.13 a Bíblia diz: "Então disse Deus a Noé: 'O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de hamas...'"


A determinação de Israel em acabar completamente com o Hamas é louvável, mas, em última análise, está condenada ao fracasso. O hamas não se limita à organização terrorista palestiniana que vemos nos noticiários; hamas está presente onde quer que haja anarquia e rebelião contra Deus e Seu domínio sobre a vida dos homens. Existia nos dias de Noé; existe no nosso país e nas nossas cidades; podemos encontrá-lo em nossas igrejas, em nossos lares e em nossos corações. Mas, onde quer que se encontre o hamas, é Deus que lhe porá fim. Nem mesmo o dilúvio, que limpou a terra de todas as almas, salvo 8 pessoas, conseguiu erradicar a má semente do pecado no coração humano, da qual hamas rapidamente floresceu novamente. Nenhuma água, quer seja um dilúvio, ou nossas lágrimas de sofrimento, nem as águas do batismo, pode eliminar a semente maligna do pecado. Somente através do sacrifício do sangue de Jesus, o Cordeiro de Deus, é que o hamas pode ser eliminado do coração de cada um de nós. E é através de Seu Filho, Jesus, que Deus vai impor a solução final que eliminará todos os inimigos, incluindo hamas.


1 Coríntios 15.24-26: «Depois virá o fim, quando [Jesus] tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés."


Até lá, oramos: "Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra e em nós, como no céu".


Em Mateus 5.9, Jesus disse: " Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus". Qualquer pessoa que é nascida de Deus nunca pode ser um apoiante de hamas.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page